Buscar
  • C+M Comunicação

Sugestão de pauta sobre a fala do Bolsonaro sobre os cristãos do Afeganistão com o estudioso do islã

O que diz Mansur:


No Afeganistão, os cristãos são menos de 0,2% da população. Basicamente a mesma quantia de muçulmanos no Brasil, ou até menos. Imagine se houvesse uma crise política terrível no Brasil, e o presidente de uma nação islâmica fosse a ONU dizer que concederia refúgio “para muçulmanos”, como se o resto da população, quase toda ela em estado de penúria ao ponto de imagens de indivíduos se agarrando em aviões e jogando bebês por cima do arame farpado para escapar, simplesmente não existisse por fazer parte de outra religião?

Jair Messias Bolsonaro, suas palavras são repugnantes. E que nosso povo que sempre recebeu e ainda recebe milhares de imigrantes sem nem querer saber para qual deus rezam, não continue a ser prejudicado pelas imundices que você profere com essa boca que atua como a mensageira de uma mente estupida.

Tenho toda certeza que os cristãos afegãos, oprimidos, perseguido e mortos pelas mesmas forças que também fazem o mesmo com os muçulmanos no país (já ouviu falar no que acontece aos hazaras?), não gostariam de se salvar e deixar seus vizinhos de fé diferente para trás. Não aplique sua sociopatia a geopolítica global. Os povos deste mundo, e louvado seja Allah por isso, não são você!


Sobre o porta-voz


História Islâmica | Facebook

Mansur Peixoto é um jovem muçulmano de origem nordestina que desde os 13 anos dedica-se ao estudo da história e da religião islâmica.


Ele morou no Egito, em Alexandria, e decidiu criar uma página para divulgar seus estudos e impressões sobre o mundo islâmico, seu passado e presente, e hoje tem um alcance mensal de mais de 3 milhões de pessoas no Facebook.


A maior parte de sua página fala da história islâmica da língua portuguesa mundial e ele se tornou a maior fonte do tema no Brasil, Portugal, Moçambique, e enfim, em todo o mundo lusófono. Ele consegue explicar todos os temas polêmicos que envolvem o Islã fugindo das respostas simples e obvias. Costuma fazer grandes impressões quando entrevistado.


Ele está preparando o 1° Encontro Nacional da página História Islâmica, uma mega master class temática com apresentação de palestras sobre a influencia muçulmana na cultura brasileira, nordestina e gaúcha, a influencia musical e filosófica, bem como a forte influencia gastronômica deixada pelos muçulmanos ibéricos que acabou se mesclando ao nosso país.


É desses seguidores que participam de seus evento que temos diversos personagens muçulmanos, inclusive uma corrente de jovens muçulmanos que vivem uma vida mais moderna, chamados de "Geração M".


Exemplo da Geração M: “Minha primeira vez numa semana de moda modesta” - Vogue | moda (globo.com)

4 visualizações0 comentário